Piometra: quando não castrar traz a morte

Esse nome assombra muitos tutores que optaram por não castrar suas fêmeas.
Você sabia que não castrar sua cadela ou gata pode mata-la?

Piometra

A Piometra é uma infecção bacteriana que acomete o útero. Ela pode surgir logo após o primeiro cio, sendo mais comum em fêmeas com mais de 5 anos.

Essa infecção ocorre como resultado das mudanças hormonais durante o cio. Nesse período, os glóbulos brancos do sangue, que nos protegem contra infecções, são impedidos de entrar no útero para que não impeçam a fecundação.

Ao término do cio, o nível do hormônio progesterona fica elevado por até 2 meses e causa o espessamento da parede uterina, preparando o útero para a gestação.

Caso a fêmea não fique prenha por muitos cios, o revestimento do útero continua a aumentar, podendo formar cistos .

Piometra em cadela

Causas e Consequências

A principal causa da Piometra é a não castração das fêmeas.

Para piorar a situação, muitos tutores optam injeções anticoncepcionais para evitar gravidez. Como essas injeções são à base de hormônios, esse método facilita o aparecimento da Piometra.

Alguns tutores sentem pena de castrar seus animais, ou mesmo gostariam de tirar uma cria.
A consequência desse ato muitas vezes é a morte, pois a Piometra é um infecção extremamente grave que o corpo não consegue combater sozinho.

Conforme piora, algumas bactérias do útero podem migrar para os rins através da corrente sanguínea, o que leva a fêmea à morte quando os rins param de funcionar.

Piometra em gata

Sintomas

  • Corrimento vaginal purulento, escuro e fétido
  • Aumento da sede e, consequentemente, da micção
  • Alargamento do abdômen (barriga inchada)
  • Letargia (inconsciência)
  • Falta de apetite
  • Perda de peso
  • Desidratação
  • Febre

Tipos de Piometra

É preciso ficar atento aos sintomas mais leves, pois existem duas formas de Piometra.

Aberta: A vulva apresenta um corrimento fétido e escuro, sendo fácil de identificar. Normalmente ela ocorre 2 meses após o cio.

Fechada: Não há presença do corrimento, sendo a forma mais fatal da doença. Por não apresentar sintomas externos, o tutor só a nota quando já atingiu um estágio muito avançado.

Tratamento

Geralmente, assim que diagnosticada a Piometra, a fêmea precisa ficar internada.

Ela recebe medicamentos intravenosos e antibióticos para combater a infecção. Quando estiver estabilizada, a castração será feita para evitar que a Piometra volte a ocorrer.

Somente a castração pode evitar a insuficiência renal ou uma infecção generalizada (septicemia).

Prevenção da Piometra

A única forma de prevenção da Piometra é a castração, preferencialmente antes do primeiro cio.

Como ocorre no útero, assim que removido, as chances de desenvolver a doença acabam.

Muitos tutores não castram suas fêmeas por acharem que é um ato cruel, mas cruel mesmo são os casos de morte por Piometra, e eles são mais comuns do que você imagina.

Que tal dar uma passada na Pet Shop para conversar sobre a castração?

Leia também

Saiba os MITOS e VERDADES sobre a castração, aqui.

Seja o primeiro a comentar em "Piometra: quando não castrar traz a morte"

Comente isso

Seu e-mail não será publicado.


*