Os divertidos Furões

Você não sabe se quer um cachorro ou um gato? Que tal um Furão?

Essa lindeza peluda une o temperamento de um cão com a discrição de um gato!

Furão

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o Furão não é um roedor.

Também conhecido como Ferret(nome que ganha em inglês), o Furão é um mamífero carnívoro pertecente à família dos Mustelídeos, grupo que inclui as lontras, os texugos e as doninhas.

O Furão doméstico(Mustela putorius furo), é muito utilizado como pet em diversos países.

Nos Estados Unidos e na França, por exemplo, são considerados o terceiro animal de estimação mais criado, ficando atrás apenas do gato(primeiro) e do cachorro(segundo).

história

Não se sabe ao certo quando os Furões foram domesticados, porém, pesquisas arqueológicas encontraram vestígios de Furões domésticos que datam de cerca de 1.500 a.C..

A teoria é de que os europeus, por alturas das primeiras incursões ao Egito, observando a incrível domesticação de gatos, acabaram adotando esses pequenos carnívoros como forma de proteção contra os roedores que destruíam suas plantações de cereais.

Quando os europeus perceberam sua natureza predadora, e notaram que seu corpo é adaptado para espaços limitados, passaram a utilizar os Furões para entrar em buracos e espantar ratos, coelhos, ou qualquer pequeno animal para fora de suas tocas.

Assim, os Furões começaram à ser utilizados na caça para a alimentação humana.

Saiba tudo sobre a relação do Egito com os gatos.

Legislação

Por se tratar de um animal exótico, o Ibama impõe uma série de exigências ás empresas que importam este animal.

A mais importante delas, é que os animais sejam castrados antes de vir ao Brasil, pois a criação nacional é expressamente proibida.

Além disso, todo o animal deve ser microchipado, tendo uma espécie de “carteira de identidade”, evitando o abandono desses animais em uma fauna à qual eles não pertencem.

Temperamento

Como o processo de domesticação depende muito do temperamento do animal, é correto afirmar que os Furões sempre tiveram uma boa personalidade, facilitando a convivência.

Os Furões passam a maior parte do seu tempo(entre 14 a 18 horas por dia) dormindo. Eles são crepusculares, ou seja, mais ativos quando perto do amanhecer e do pôr do sol.

Quando acordados, Furões são dotados de uma inesgotável energia e curiosidade. São animais brincalhões, que adoram correr e se entocar pelos cantos da casa.

Por serem caçadores natos, estão sempre vigiado o ambiente que os rodeia, montando guarda pela família. Possuem uma certa independência, mas são muito apegados ás pessoas, e aos animais do seu convívio.

O Furão é o animal ideal para apartamentos, pois é silencioso, e não precisa de muito espaço.

Para quem tem quintal, são considerados ótimos parceiros de atividades ao ar livre, e gostam muito de “ajudar” seus donos no jardim, abrindo buracos para as plantas.

Como são destemidos, e perigosamente curiosos, necessitam de vigilância constante ao serem levados para fora.

Convivência

Os Furões são monogâmicos, ou seja, têm apenas um companheiro durante a vida.

É comum, após a morte do parceiro, o sobrevivente morrer em decorrência de depressão. Especialistas recomendam a criação de três animais juntos, assim evitando a morte por solidão.

Os Furões são muito brincalhões, sendo frequentemente vistos brincando com gatos. Também é possível interagir com cães, mas é preciso estar atento á natureza do cão, já que os Terrier, ou outras raças caçadoras, podem confundi-los com uma presa.

Dificilmente eles socializam com roedores, já que fazem parte da sua cadeia alimentar.

Furões podem ser ótimos animais de estimação para as crianças, porém, é preciso vigiar com atenção o convívio com as menores.

Muitas vezes, as crianças tratam os Furões como brinquedos, ou tentam abraçá-los com força, o que pode provocar uma tentativa de fuga, gerando arranhões ou mesmo mordidas.

Características

Dono de uma aparência inconfundível, o Furão possui o corpo esguio, musculoso e bastante flexível, coberto de uma pelagem densa e fechada. Suas patas são curtas, suas orelhas bem pequenas, e os olhos arredondados.

São dotados de mandíbulas fortes e dentes em forma de agulha. Quando mordem, podem facilmente furar a pele humana.

A expectativa de vida pode variar muito, mas a média varia entre os 6 e 10 anos, embora já registrados casos de animais que viveram até os 15 anos.

Cuidados

Criação

Normalmente os Furões são criados em grandes gaiolas.

Apesar de não se importarem com espaços pequenos, precisam ser soltos algumas horas por dia, para poderem brincar. Também se acostumam á passear usando coleiras, ou mesmo dentro de bolsas próprias para transporte.

Quando se opta por cria-los soltos em casa, todas as tomadas, fios, e objetos cortantes devem ser isolados.

Furões são curiosos e aventureiros, e costumam arrebentar fios elétricos para brincar, não sendo raros os casos de choques.

Alimentação

Furões são animais estritamente carnívoros.

Eles carecem de uma dieta com alta porcentagem de proteína e gordura. Não podem de forma alguma ser alimentados com frutas, vegetais ou cereais. Portanto, se você gostaria de um pet vegetariano, essa não é uma opção.

Existem rações próprias para eles, porém, devido ao alto custo, a ração felina pode ser utilizada, desde que contenha entre 32% a 38% de proteínas, e entre 15% a 20% de gorduras.

Higiene

Duas vezes por ano, uma na primavera e outra no outono, os Furões trocam de pelo.

Durante estes períodos, é recomendável a escovação regular e a administração de produtos para evitar bola de pelos.

Quanto ao xixi e cocô, assim como os gatos, os Furões podem utilizar uma caixinha como banheiro. Uma bandeja plástica com areia para gato costuma ser o suficiente.

Não se deve dar banhos frequentes. A maioria dos veterinários afirma que não deve ser dado mais do que um banho por mês, podendo ele ser anual. Lavagens frequentes podem de aumentar o cheiro natural do animal, alcançando o resultado contrário ao desejado.

O corte frequente das unhas, e um boa limpeza das orelhas são suficientes.

Saúde

Quando estão doentes, os furões costumam esconder com sucesso os sintomas, portanto, devem ser levados anualmente ao veterinário.

O vírus da cinomose é mortal para os Furões, portanto, a vacinação é indispensável para eles.

Em alguns países, em que é permitida a criação doméstica, a vacinação contra a raiva também é exigida, embora a incidência desta doença seja extremamente baixa.

Atualmente, não existe nenhum registro de transmissão de raiva aos seres humanos.

Seja o primeiro a comentar em "Os divertidos Furões"

Comente isso

Seu e-mail não será publicado.


*